Hospital tem 48 horas para explicar morte de bebês no Pará

Santa Casa deverá entregar prontuários dos recém-nascidos e dizer em que condições foram atendidos

da Redação,

25 de junho de 2008 | 21h20

O Ministério Público Federal (MPF) deu prazo de 48 horas, a contar desta quinta-feira, para a direção da Santa Casa de Misericórdia do Pará a explicar os motivos que provocaram a morte de 12 bebês, no último final de semana, dentro da UTI neonatal. O hospital foi intimado pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão a entregar os prontuários médicos dos recém-nascidos e dizer em que condições eles foram atendidos.   Veja também:  Ministério Público investiga morte de 12 bebês no Pará   A procuradora da República Ana Karízia Teixeira disse que o MPF já investiga a situação do hospital desde março passado. Ela havia aberto procedimento administrativo depois de receber várias denúncias. Médicos da Santa Casa também denunciaram ao promotor do Ministério Público Estadual. Ernestino Pantoja que o hospital apresenta graves deficiências no atendimento aos pacientes.   Faltam medicamentos e condições de trabalho e há aparelhos enferrujados na sala de exames. Até ratos e insetos foram encontrados, segundo confirmou o próprio Pantoja em inspeção feita no ano passado. Colchões dos doentes e armários estão deteriorados e os aparelhos de ar condicionado parados por falta de manutenção.   Deve acontecer no começo de julho uma inspeção na UTI Neonatal, prevista desde abril. Dela participarão a procuradora da República Ana Karízia Teixeira, o promotor Ernestino Pantoja e médicos do Departamento Nacional de Auditorias do Sistema Único de Saúde (SUS).

Tudo o que sabemos sobre:
saúdePará

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.