Hubble capta imagem mais nítida de aglomerado de estrelas

Telescópio fotografa o aglomerado Messier 9, que fica perto do centro da nossa galáxia

Efe,

16 de março de 2012 | 11h07

 

O telescópio espacial Hubble conseguiu capturar a imagem mais detalhada e nítida até o momento do Messier 9, aglomerado de estrelas situado próximo ao centro de nossa galáxia, informou a Agência Espacial Europeia.

Apenas perceptível a olho humano, o Hubble consegue ver mais de 250 mil estrelas dentro do aglomerado, que se encontra a uns 25 mil anos-luz da Terra, perto do centro da Via Láctea e tão perto que as forças gravitacionais do centro galáctico o deformam ligeiramente.

Estima-se que os aglomerados contenham algumas das estrelas mais antigas da nossa galáxia, nascidas quando o Universo tinha uma pequena fração da sua idade atual.

As estrelas do Messier 9, além de duplicar a idade do Sol, têm uma composição bem diferente, com menos elementos pesados que o astro rei.

Os elementos cruciais para a vida na Terra, como o oxigênio e o carbono, assim como o ferro que compõe a crosta terrestre, são particularmente escassos no Messier 9.

Isso se deve a que os elementos mais pesados do Universo se formaram gradualmente no centro das estrelas e na explosão de supernovas. Durante a formação dos astros do Messier 9 havia uma quantidade menor desses elementos.

Além de mostrar as estrelas individualmente, a imagem do Hubble permite ver claramente as diferentes cores dos astros, relacionadas diretamente com a temperatura.

Assim, ao contrário do que se poderia esperar, quanto mais vermelho, mais frio, e quanto mais azul, mais quente.

O amplo espectro de temperaturas das estrelas fica evidenciado graças à enorme paleta de cores visível com a imagem captada pelo Hubbel. O entorno do Messier 9 é igualmente interessante e consiste em duas nebulosas extensas e escuras, conhecidas como Bernard 259, a sudeste do aglomerado, e Berard 64, a oeste, claramente visíveis na imagem do telescópio.

Tudo o que sabemos sobre:
HubbleestrelasMessier 9galáxia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.