HST/ESA-Nasa
HST/ESA-Nasa

Hubble fotografa núcleo de aglomerado de estrelas 13.000 anos-luz

Sabe-se da existência de 150 desses aglomerados ao redor da Via-Láctea

estadão.com.br

24 de agosto de 2010 | 18h51

O Telescópio Espacial Hubble produziu uma imagem do centro do aglomerado globular Messier 71, uma enorme bola de antigas estrelas na borda da Via-Láctea, a cerca de 13.000 anos-luz da Terra. O aglomerado todo tem 27 anos-luz de diâmetro.

 

A Agência Espacial Europeia (ESA) descreve aglomerados globulares como "subúrbios galácticos", bolsões e estrelas que existem no limiar de galáxias. Esses aglomerados são fortemente unidos pela gravidade, o que lhes dá a forma esférica.

 

Sabe-se da existência de 150 desses aglomerados ao redor da Via-Láctea, cada um deles contendo centenas de milhares de estrelas. Messier 71 é conhecido há tempos, tendo sido observado pela primeira vez no século 18, pelo astrônomo suíço Jean-Philippe de Cheseaux.

 

Apesar de ser um objeto familiar, a natureza exata de Messier 71 era um  mistério até pouco tempo atrás. Seria ele um aglomerado aberto, um grupo de estrelas sem muita ligação umas com as outras?

 

Esta era a interpretação dominante até os anos 70, quando astrônomos passaram a encará-lo como um aglomerado globular, ainda que  excepcionalmente disperso.

 

As estrelas de Messier 71 são relativamente antigas, tendo de 9 bilhões a 10 bilhões de anos.

Tudo o que sabemos sobre:
astronomiahubblegaláxia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.