Identificados mais 26 genes ligados ao câncer de pulmão

Estudo é passo para a criação de novos tratamentos que podem ser desenvolvidos para pacientes específicos

AP

22 de outubro de 2008 | 18h25

Na maior iniciativa do tipo até o momento, cientistas nos Estados Unidos e na Alemanha identificaram 26 genes que, quando danificados, parecem causar câncer de pulmão.  Veja também: Pesquisadores desenvolvem tratamento para câncer no cérebro Células-tronco tumorais podem ser chave para cura do câncer É um passo para a criação de novos tratamentos que podem ser desenvolvidos para pacientes específicos.  O projeto federal foi o maior até agora a procurar por mutações na forma mais comum de câncer de pulmão, chamada adenocarcinoma. Os resultados mais que dobram o catálogo de genes que implicam a condição. As descobertas, de cientistas de uma dúzia de instituições, foram publicadas na última edição da revista Nature.  O estudo se concentrou em tumores que se originaram no pulmão e foram cirurgicamente removidos, mas pesquisadores também esperam estudar se as mesmas mutações aparecem em cânceres de pulmão que se espalham para outras partes do corpo. Os cientistas fizeram amostras de 188 tumores. Eles examinaram a formação de 623 genes para procurar por aqueles que mais freqüentemente apareciam com mutações. A idéia é que se uma mutação aparece em tantos tumores, ela provavelmente tem um papel na doença.  Os resultados sugerem que alguns medicamentos já em uso ou em estudo para outros propósitos podem funcionar para pessoas com tumores de certas mutações.

Tudo o que sabemos sobre:
câncersaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.