Implante de osso artificial permite regenerar juntas em coelhos

Empresas que fabricam juntas metálicas estão manifestando interesse na técnica

REUTERS,

29 Julho 2010 | 14h06

Coelhos que receberam implantes de osso artificial regeneraram suas juntas, incluindo as cartilagens, pesquisadores informam nesta quinta-feira, 29.

 

Um único composto, chamado fator de crescimento, foi necessário para induzir o corpo dos animais a remodelar o tecido da junta, disse a equipe de pesquisadores da Universidade Columbia em Nova York, Universidade Clemson na Carolina do Sul e Universidade do Missouri. 

 

Uma junta regenerada deve durar mais e funcionar de modo mais natural que uma prótese metálica, disseram os autores do experimento.

 

Empresas que fabricam juntas metálicas estão manifestando interesse, disse o líder da pesquisa, Jeremy Mao. "Todo o tecido se formou a partir de células-tronco do receptor", disse ele.

 

Escrevendo na revista média The Lancet, os pesquisadores disseram ter iniciado o trabalho com op propósito de fabricar uma junta artificial usando um biomaterial aprovado pelas autoridades sanitárias americanas para a regeneração de ossos.

 

Eles replicaram uma junta de perna de coelho e infundiram o osso artificial, poroso, com fator de crescimento. Dez coelhos equipados com as juntas artificiais tratadas com o fator já estavam saltando depois de quatro semanas. Em comparação, dos dez coelhos que haviam recebido a junta sem fator de crescimento, poucos se mostraram capazes de andar normalmente.

 

"Foi uma descoberta surpreendente", disse Mao. os pesquisadores esperavam que mais trabalho fosse necessário para levar o corpo a revestir o osso artificial com cartilagem.

 

A técnica poderia beneficiar vítimas de artrite avançada. Juntas de metal duram de 10 a 15 anos, mas o novo tipo deve durar mais, disse Mao. "É a sua própria junta, que você fez pela segunda vez".

 

Em comentário na Lancet, o médico Patrick Warnke escreveu advertindo que talvez nem todos os pacientes tenham a capacidade de reagir tão bem ao fator de crescimento, regenerando a junta tão depressa, principalmente no caso de idosos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.