João Neves/Divulgação
João Neves/Divulgação

Incêndio atinge banco genético da USP de Ribeirão Preto

Segundo especialista, 'guardadas as devidas proporções, a perda da USP é a mesma que aconteceu com o Instituto Butantã'

Solange Spigliatti, estadão.com.br

17 Agosto 2011 | 13h17

SÃO PAULO - Cerca de 30 hectares, do total de 75 hectares, da Floresta da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, onde está localizado o banco genético da universidade, foram destruídos pelas chamas nesta terça-feira, 16.

 

Segundo informações da professora de Biologia da Universidade, Elenice Varanda, "guardadas as devidas proporções, a perda da USP é a mesma que aconteceu com o Instituto Butantã", quando o incêndio destruiu a maior coleção de cobras, aranhas e escorpiões do mundo, em maio do ano passado.

 

O incêndio, que começou por volta das 13 horas de terça-feira, sendo controlado após três horas, atingiu parte da floresta, onde está localizado o banco genético de biodiversidade. Lá estava armazenada uma coleção viva de espécies encontradas nas bacias dos Rios Pardo e Rio Mogi, na região de Ribeirão.

 

Foram perdidos, segundo a USP, material genético de insetos, de aves, ninhos de passarinhos, além de árvores de várias espécies, com sementes de origem conhecida e qualidade garantida, a fim de recuperar áreas degradadas. Além da floresta, foi atingido também parte do espaço destinado à ampliação do campus. Ainda não há informação sobre as causas do incêndio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.