Paula Felix|Estadão
Paula Felix|Estadão

Incor anuncia que superou 1 mil transplantes de órgãos

O instituto realizou, até 30 de junho deste ano, 1.080 cirurgias. Neste ano, fez 22 transplantes de coração, seis de coração infantil e 21 de pulmão

Paula Felix|Estadão
Paula Felix|Estadão

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

01 Agosto 2016 | 16h26

SÃO PAULO - Em evento realizado na manhã desta segunda-feira, 1 °, o Instituto do Coração ( Incor ) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) anunciou que superou a marca de 1 mil transplantes de coração e de pulmão. O procedimento é realizado desde 1985.

O professor de história Elias Manoel da Silva, de 53 anos, foi a milésima pessoa a ser transplantada e acompanhou o evento. "Ser o número mil representa muito para mim, porque tive minha vida recomposta. Tive um problema de coração dilatado e fiquei internado de julho a setembro do ano passado."

Recuperado do procedimento, ele, que recebeu um coração, ressalta a importância da doação de órgãos. "Depois da morte de um ente, a doação é a coisa mais importante para a vida que se foi. O morto leva coração, dois pulmões, pele, todos os órgãos morrem. Quando a pessoa doa, salva vidas."

Procedimentos. O instituto realizou, até 30 de junho deste ano, 1.080 cirurgias. Neste ano, fez 22 transplantes de coração, seis de coração infantil e 21 de pulmão. Mas o desafio ainda é encontrar doadores.

"Há bastante doadores no Brasil, mas ainda está aquém. O Incor tem toda a tecnologia para a captação de órgãos. Inclusive, temos helicópteros e aviões do governo do Estado para pegar órgãos. O desafio é ter os doadores", afirma Roberto Kalil Filho, presidente do conselho diretor do Incor.

Ricardo Barros, ministro da Saúde, acompanhou o evento e disse que o governo federal prevê a continuidade de investimentos para a realização de transplantes no País. "Na qualidade dos transplantes, o Brasil é protagonista e queremos que continue sendo. A minha presença representa o apoio do governo federal e os recursos que estão sendo transferidos já são aqueles programados mais emendas parlamentares que estão sendo liberadas conforme os processos estão sendo concluídos em Brasília."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.