Incubadas entram em nicho de grandes laboratórios

A indústria farmacêutica é dominada pelas empresas de grande porte. Segundo a Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica, as menores empresas têm faturamento na casa dos R$ 30 milhões anuais. Porém, na cadeia produtiva dos medicamentos, há espaço para as pequenas na produção dos fármacos - substâncias utilizadas na produção de remédios. ?Quando se fala de química fina, pode se tratar de empresas bem menores?, diz um dos sócios da Alpha, Luiz Carlos Zanotti. A Alpha, uma empresa de pequeno porte incubada no Cietec da USP, desenvolve princípios ativos (substâncias que servem de base para produção de remédios) de alto valor. ?Alguns compostos podem ser vendido a até US$ 80 mil o quilo,? afirma. Tanto Zanotti quanto seu sócio, Wiliam Carnicelli, trabalhavam no ramo farmoquímico antes de fundarem a Alpha, em 2002. ?Vimos que havia um nicho de mercado a ser atendido. Alguns laboratórios precisavam de princípios caros, mas importá-los é um processo complicado, burocrático, e nem sempre existe a garantia de que o produto recebido vai atender às exigências de qualidade.? Ele acredita que neste nicho as pequenas empresas brasileiras têm espaço para atuar. ?Nós temos qualidade e podemos atender um pedido em até duas semanas, o que reduz os estoques dos laboratórios. Quem optar por importar compostos não consegue ser atendido nesse prazo.? O pesquisador e diretor da Biotec Mario Moffa diz que a farmoquímica nacional é muito pequena, e quase desapareceu com a abertura das importações durante o governo Collor. ?A opção mais sustentável é trabalhar com os compostos de alto valor?, concorda Moffa. ?O investimento necessário para fazer princípios commodities seria o mesmo, mas é praticamente impossível competir com as grandes fábricas por causa do volume. Como os princípios ativos mais caros são comercializados em gramas, é possível para uma pequena empresa produzi-los.? A Biotec, também incubada no Cietec, produz hormônios femininos. Atualmente, ela atende o Biolab, mas futuramente vai abrir sua produção para outros laboratórios. Para citar um exemplo, uma cartela inteira de anticoncepcionais precisa de apenas 2 miligramas para surtir efeito.

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2006 | 13h08

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.