Índia reforça proibição ao fumo em locais públicos

As autoridades esperam uma campanha antitabagista intensa, incluindo pressão sobre estrelas de cinema

AP,

02 de outubro de 2008 | 18h28

O governo da Índia proibiu o fumo em vários locais públicos nesta quinta-feira, 2, quatro anos depois de uma proibição anterior ter sido pouco fiscalizada e largamente ignorada.   A iniciativa ocorre no momento em que a nação de quase 1,2 bilhão de pessoas marca o aniversário do grande líder da independência da Índia, Mohandas Gandhi, que não fumava e não bebia.   Desta vez, as autoridades esperam uma campanha antitabagista intensa - incluindo pressão sobre a indústria cinematográfica local, a chamada Bollywood, para que as estrelas de cinema parem de fumar e uma proibição do fumo nos filmes, associada a uma fiscalização mais rigorosa.    Mas até mesmo o ministro da Saúde, Anubamani Ramadoss, que há tempos faz campanhas contra o uso do tabaco, reconheceu que a mudança de hábitos no país levará tempo.   "Vai ser um processo contínuo", disse ele. A proibição, em escala nacional - que sofreu oposição das redes hoteleiras e da indústria do cigarro - cobre escritórios, hotéis, restaurantes, hospitais e aeroportos, e amplia a proibição anterior, malsucedida, para incluir câmpus universitários, bares e casas noturnas.   As autoridades dizem que o plano é agir contra os administradores e proprietários de locais onde a proibição seja violada, e que nenhum local poderá oferecer cinzeiros, isqueiros ou fósforos.   O fumo continuará a ser permitido em casa, no carro e a céu aberto, mas será vetado nos transportes públicos.   Grandes aeroportos e restaurantes com capacidade para mais de 30 comensais poderão separar uma área de fumantes.   Um dos principais astros de Bollywood, o fumante Shah Rukh Khan, deu boas vindas à proibição. "Seria melhor proibir o cigarro, torná-lo ilegal e enforcar todos os que fossem pegos fumando", disse ele a uma rede local de televisão. "Mas não podemos fazer isso porque somos um país democrático, e essa também é uma coisa boa", disse ele, sem se comprometer em parar de fumar.

Tudo o que sabemos sobre:
tabacoíndia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.