Infecção humana por gripe aviária se tornou mais fácil

Por enquanto, ainda é rara a transmissão da doença de uma pessoa para outra

Reuters,

05 de outubro de 2007 | 01h19

O vírus H5N1 da gripe aviária tem sofrido mutações que tornaram a infecção de pessoas mais fácil, embora o vírus ainda não tenha se transformado em uma forma pandêmica, disseram pesquisadores na quinta-feira, 4. As mudanças são preocupantes, segundo o doutor Yoshihiro Kawaoka, da Universidade de Winsconsin-Madinson. "Identificamos uma mudança específica que pode fazer a gripe aviária crescer no trecho respiratório superior dos seres humanos", disse Kawaoka, que liderou o estudo. "Os vírus que estão circulando na Europa e na África são os que estão mais próximos de se tornarem vírus humanos", acrescentou. Segundo publicação de Kawaoka e de seus colegas, todas as amostras de vírus coletadas em pássaros na Europa e na África carregavam essa mutação. "Não gosto de assustar o público, porque eles não podem fazer muito. Mas ao mesmo tempo é importante para a comunidade científica entender o que está acontecendo", disse o cientista em entrevista por telefone. O vírus H5N1 da gripe aviária, que afeta principalmente pássaros, já infectou 329 pessoas em 12 países desde 2003, matando 201 delas. É rara a transmissão da doença de uma pessoa para outra, mas caso o vírus adquira essa habilidade, pode gerar uma epidemia global.

Tudo o que sabemos sobre:
Gripe aviária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.