Reuters
Reuters

Infectados por Ebola podem chegar a 1,4 mi em janeiro, dizem EUA

Projeção considera que esforços para conter a doença não são suficientes; país enviou 3 mil soldados à África Ocidental

EFE

23 Setembro 2014 | 14h59

ATLANTA - O número de infectados por Ebola pode chegar a entre 550 mil e 1,4 milhão de pessoas em janeiro se os esforços para conter a doença na África Ocidental não forem aumentados, advertiram nesta terça-feira, 23, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês).

As projeções dos CDC se baseiam em um informe realizado em agosto, antes de o governo norte-americano aprovar o envio de 3 mil soldados à África Ocidental, onde ao menos 2.803 pessoas já morreram em função do vírus.

"A importância de serem implantados rapidamente programas efetivos não pode ser suficientemente enfatizada. A demora tem um enorme custo", disse o diretor do CDC, Thomas Frieden.

O relatório dos CDC aponta também que os números projetados poderiam ser revertidos se ao menos 70% das pessoas infectadas com o vírus fossem tratadas em condições adequadas nos centros médicos.

"Precisamos tomar dois caminhos de abordagem: aumentar centros de tratamento de Ebola o mais rápido possível; e, temporariamente, oferecer o melhor tratamento fora desses centros", afirmou Frieden. "O governo dos Estados Unidos contratou ONGs para operar centros de tratamento de Ebola, e os CDC vão realizar seu primeiro treinamento sobre como lidar com os casos, a fim de aumentar o número de pessoas capazes para prestar assistência."

Os CDC têm atualmente 120 especialistas no oeste da África para auxiliar na identificação de novos casos e isolá-los para evitar a propagação de mais pessoas, de acordo com Frieden.

Mais conteúdo sobre:
EbolaCDCEstados UnidosÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.