Infectologista referência dos EUA prevê veredito sobre vacina contra covid até dezembro

Vacinação ampla, porém, só está prevista para meados de 2021, segundo Anthony Fauci

Redação - Reuters

Você pode ler 3 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 3 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

LONDRES - O infectologista americano Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (Niaid), afirmou neste domingo, 25, que será possível descobrir a eficácia e a segurança de uma vacina contra covid-19, de forma clara, até o início de dezembro. Uma vacinação ampla, porém, só deve ocorrer em meados de 2021.

Ver mais

“Saberemos se uma vacina é segura e eficaz entre o fim de novembro e o início de dezembro”, disse Fauci à BBC. “Quando se fala em vacinar uma parte substancial da população, para que se possa ter um impacto significativo na dinâmica da epidemia, é muito provável que não aconteça até o segundo ou terceiro trimestre do ano (de 2021)”. Fauci é especialista da Casa Branca durante a pandemia e uma das maiores referências dos EUA no assunto. 

O infectologista Anthony Fauci, uma das maiores referências dos EUA no combate à pandemia. Foto: Mandel Ngan/AFP

Na última sexta-feira, 23, a AstraZeneca e a Johnson & Johnson anunciaram a retomada dos testes de suas vacinas, nos Estados Unidos — ambas já na última fase. Elas haviam interrompido as testagens por doenças graves detectadas em alguns voluntários, mas não houve indícios de relação com os imunizantes.

A pausa nos testes da AstraZeneca durou seis semanas. A Johnson & Johnson, por sua vez, precisou interromper o processo por 11 dias. Ambas as empresas estão usando um adenovírus, que normalmente causa resfriados inofensivos e é construído de modo a conduzir um gene do coronavírus para dentro de células humanas. A Moderna e a Pfizer também possuem vacinas no estágio final de ensaios clínicos nos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato