Tolga Akmen/AFP
Tolga Akmen/AFP

Inglaterra identifica mais de mil casos de nova variante do coronavírus

País enfrenta alta de infecções; Londres terá de fechar bares e restaurantes a partir de quarta-feira

Redação, Reuters

14 de dezembro de 2020 | 13h58

LONDRES - Mais de mil casos de uma nova variante do coronavírus foram identificados nos últimos dias na Inglaterra, predominantemente no sul do país. O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, disse nesta segunda-feira, 14, que a doença pode estar relacionada a um aumento de casos. 

"Identificamos uma nova variante do coronavírus, que pode estar associada à disseminação mais rápida no sudeste da Inglaterra", disse Hancock em comunicado ao Parlamento. "A análise inicial sugere que essa variante está crescendo mais rápido do que as variantes existentes. Devo enfatizar neste ponto que atualmente não há nada que sugira que a variante seja mais provável de causar doenças graves, e a orientação clínica mais recente é que é altamente improvável que essa mutação não responda a uma vacina", acrescentou. 

O ministro anunciou também que Londres, assim como Essex (ao leste da Inglarerra) e Hertfordshire (ao norte) passarão ao nível máximo de restrições. A partir de quarta-feira deverão fechar bares e restaurantes. Os estabelecimentos só poderão fazer delivery.

No entanto, ainda não se sabe se o aumento de contágios no país tem relação com a nova variante do coronavírus. "De qualquer maneira, tivemos de tomar ações rápidas e decisivas", enfatizou Hancock.

Até o momento foram identificados mais de mil casos desta nova variante, especialmente ao sul do país. As autoridades britânicas já informaram o ocorrido à Organização Mundial da Saúde (OMS).

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, pediu também ao Executivo que fechem de imediato todas as escolas de educação secundária, cujos estudantes registraram um rápido crescimento de casos. /REUTERS E EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.