Iniciativa valoriza médicos e eleva padrão de qualidade para pacientes
Conteúdo Patrocinado

Iniciativa valoriza médicos e eleva padrão de qualidade para pacientes

No programa Rede Plus, da operadora Care Plus, esses profissionais encontram um canal de comunicação e de reconhecimento de seu trabalho

Care Plus, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

18 de outubro de 2021 | 07h30

Responsáveis por cuidar da saúde da população por meio da prevenção, do diagnóstico e do tratamento para a busca da cura de doenças, os médicos constroem sua carreira desde a universidade, no contato com disciplinas acadêmicas e na chamada prática aplicada.

No País, existem 502.475 profissionais dedicados às mais diversas especialidades, segundo o estudo Demografia Médica no Brasil, feito em 2020 pela Universidade de São Paulo (USP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Dados da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) de 2015 apontam que há 1,8 médico por mil habitantes no País, proporção semelhante à encontrada na China e na Colômbia.

No contexto da pandemia, o papel desses profissionais ficou ainda mais evidente. No entanto, bem antes disso, a Care Plus já havia estabelecido condições de valorização dos médicos.

Em 2015, a operadora de planos de saúde criou a Rede Plus, com o propósito de endereçar, com ações específicas, algumas queixas comuns dos médicos, entre elas a burocracia, a remuneração e a falta de atendimento exclusivo. Ricardo Salem, diretor de Saúde da Care Plus, conta como o projeto nasceu: “Selecionamos os mais gabaritados profissionais de saúde, com formação curricular de excelência, e formamos um grupo que se beneficia de processos de autorização fast track, pagamento de consultas médicas em até 48 horas e com valores de consulta compatíveis com a atividade”. Em contrapartida, os profissionais deveriam garantir que beneficiários da operadora tivessem acesso às melhores práticas médicas, com tratamento humanizado e qualidade técnica, como preconiza a Care Plus.

Para o profissional de saúde, integrar a Rede Plus significa fazer parte de um ecossistema de relacionamento, com aplicação da métrica NPS (a Net Promoter Score, que mede a satisfação do cliente) para entender se o corpo clínico está sendo bem atendido, com feedback, comunicação individualizada e remuneração diferenciada.

Hoje, a Care Plus conta com cerca de 3 mil profissionais credenciados, e apenas 20% deles integram a Rede Plus. “Minha percepção quanto às operadoras de saúde mudou desde que me credenciei à Care Plus e, especialmente, desde que fui selecionada para integrar a Rede Plus. Até então, desconhecia qualquer realidade além dos atendimentos mecanizados e repasses insatisfatórios dos convênios. A Care Plus valoriza minha formação profissional, meu espaço de trabalho e o paciente, ao facilitar a conexão do meu ofício com as necessidades dele”, relata Luciana Taliberti, ginecologista e obstetra de São Paulo.

O objetivo com esse modelo de aproximação entre a operadora e os médicos era estabelecer valores similares entre esses dois atores. “O beneficiário adquire nosso produto, mas quem entrega o serviço é o médico. Por isso, nada mais lógico do que esse profissional estar alinhado aos nossos propósitos, o que conseguimos graças a essa busca por sinergia”, explica Salem.

Nesse modelo de relacionamento, completa o diretor, quem mais ganha é o paciente, que se torna o centro de todas as ações da operadora e de seus médicos, conta com consultórios de excelência e tem acesso ao currículo dos profissionais, ou seja, pode pesquisar sobre sua formação e especializações.

Com a pandemia, os médicos que integram a Rede Plus foram os primeiros de toda a rede de credenciados da Care Plus a migrar para o atendimento virtual. A operadora já oferecia consultas não presenciais em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein.

A experiência permitiu à operadora ser a primeira a oferecer pronto atendimento virtual. Se até o início da crise na saúde pública eram registradas cerca de cem teleconsultas por mês, em março de 2020 a demanda passou a cem atendimentos por dia, aproximadamente.

Eduardo Cordioli, gerente médico de Telemedicina do Hospital Albert Einstein, relata sua experiência na parceria da Care Plus. “É nesses momentos críticos que percebemos os verdadeiros pilares de uma organização. A Care Plus não mediu esforços para encurtar o caminho entre os beneficiários e os profissionais de sua rede, implantando um programa robusto de telemedicina”, diz.

A decisão de intensificar o atendimento virtual possibilitou que os profissionais seguissem trabalhando, que a prestação de serviço não fosse interrompida e que se levasse um serviço de qualidade aos pacientes.

Além de incrementar as ferramentas tecnológicas, a Care Plus levou novos recursos para cuidar da saúde mental e física de médicos, enfermeiros, psicólogos e terapeutas. Em abril de 2020, o programa Cuidando de Quem Cuida da Gente, com orientação e apoio psicológico aos credenciados, foi estendido aos que não eram beneficiários dos planos da operadora. Em caráter emergencial, a iniciativa serviu para acolher profissionais no período mais crítico da história recente.

Tudo o que sabemos sobre:
médicomedicinaprofissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.