Jardim Botânico/Reprodução
Jardim Botânico/Reprodução

Instituto de Botânica paulista inaugura novo viveiro de plantas

Espaço servirá para a reprodução de espécies e o fornecimento de material para estudos

28 Maio 2012 | 08h13

O Instituto de Botânica de São Paulo (IBot) vai inaugurar um novo viveiro de plantas no dia 6 de junho, data em que é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente. A instalação servirá para a reprodução de espécies e o fornecimento de material para estudos.

 

Mais de 200m² da área total do viveiro - 700m² - serão destinados a espécies que necessitam de sombreamento, enquanto o restante abrigará plantas provenientes de zonas ensolaradas. De acordo com o instituto, o espaço possibilitará a realização de estudos integrados e específicos de diferentes grupos de plantas cujas características podem definir melhor os modelos de restauração e conservação dos ecossistemas.

 

O espaço também possibilitará pesquisas na área de produção de mudas para subsidiar os projetos desenvolvidos pelo IBot e pela Secretaria de Meio Ambiente. Entre os projetos estão o cultivo de espécies nativas para a restauração ecológica de áreas degradadas, a formação de um banco de germoplasma de plantas resgatadas em diversas regiões, e a manutenção de coleções vivas do Jardim Botânico - como a coleção de espécies raras e ameaçadas, para fins de conservação biológica.

 

O herbário do Instituto de Botânica reúne um acervo de dois séculos de amostras da flora brasileira, em grande parte representativa do estado de São Paulo. Conta atualmente com 460 mil exsicatas de plantas e fungos, distribuídas por todos os grupos vegetais (algas, fungos, briófitas, pteridófitas e fanerógamas).

 

"Atualmente, é o terceiro maior herbário do Brasil, com reconhecimento e indexação nacional e internacional, mantendo intenso intercâmbio com instituições congêneres, em todo o mundo, e abrigando uma das coleções mais importantes de plantas oriundas da Mata Atlântica do Estado de São Paulo", disse Luiz Mauro Barbosa, diretor geral do IBot. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.