REUTERS/Ricardo Moraes
REUTERS/Ricardo Moraes

Rio confirma segunda morte por coronavírus no Estado e SP tem quinto óbito

Homem de 69 anos morava em Niterói, era diabético e hipertenso; ele teve contato com uma pessoa que voltou de viagem ao exterior. São Paulo tem outras cinco mortes confirmadas

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 13h35

RIO - O governo do Rio confirmou no início da tarde desta quinta-feira, 19, a segunda morte pelo novo coronavírus no Estado. Trata-se de um idoso de 69 anos que morava em Niterói, na região metropolitana. Além de idoso, ele era diabético e hipertenso, características que o colocavam no grupo de risco da covid-19.

O homem teve contato com uma pessoa que voltou de viagem ao exterior.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, já havia confirmado que o teste da vítima havia dado positivo para o vírus. Faltava, contudo, a contraprova. 

Pouco antes dessa confirmação, o gabinete de crise do governo estadual tinha confirmado a primeira morte no Estado: uma idosa de 63 anos que morava em Miguel Pereira, sul do Rio. 

Ela trabalhava como empregada doméstica na capital e teve contato com a patroa, que havia voltado de viagem da Itália e testado positivo para o coronavírus. Diabética e hipertensa, ela não aparecia entre os casos confirmados no Estado, o que explicita a dificuldade de mensurar a velocidade da propagação do vírus. 

O idoso de Niterói também não aparecia entre os casos confirmados. Com o resultado do teste de hoje, o Rio passa a ter 65 infectados pela doença, segundo as informações oficiais. Desse montante, 55 são da capital, sete em Niterói e o restante distribuído pelo Estado.

Outras mortes

Nesta quinta-feira, a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo confirmou a quinta morte pela doença no Estado. Com isso, já são sete vítimas fatais da covid-19 no País. Mas o Ministério da Saúde contabiliza seis. O balanço da pasta foi divulgado na tarde desta quinta-feira, 19. O País tem 621 casos confirmados da doença.

Todas as mortes de SP ocorreram na capital. Em comum, as vítimas eram homens com idades acima de 60 anos e tinham doenças pré-existentes. Eles foram atendidos em um hospital privado da capital paulista. A vítima confirmada hoje tinha 77 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.