Irã confirma foco de gripe aviária no país

"Aves domésticas e selvagens do Irã estavam infectadas", declarou o chefe do departamento de veterinária

Associated Press,

18 de janeiro de 2008 | 21h41

O Irã confirmou pela primeira vez uma eclosão do mortal vírus H5N1 da gripe aviária entre as aves domésticas e selvagens do país, informou a agência de notícias Isna nesta sexta-feira, 18. "Baseado no resultados de exames na região onde haviam as suspeitas, aves domésticas e selvagens do Irã estavam infectadas pela doença", declarou Mojtaba Norouzi, chefe do departamento de veterinária do país. O novo ataque do vírus ocorreu na província de Mazandaran, no Mar Cáspio.     Veja também: Israel sacrifica 4 mil aves após descoberta de gripe aviária   Norouzi afirmou que os testes foram feitos na Itália e as aves infectadas no norte do Irã foram sacrificadas. Ele também alertou do perigo de contaminação em outros pássaros da região. "Desde que é possível que outras aves domésticas sejam infectadas, é preciso que as pessoas evitem caçar e consumir carne de aves que vivam perto de lagos". Norouzi disse ainda que pássaros que apresentarem suspeitas do vírus em fazendas serão rapidamente abatidos.   Na quinta-feira, 17, a Organização Mundial Para Saúde Animal (OIE), declarou que houve um caso não divulgado da doença no país em 10 de dezembro do ano passado. O episódio só lhe teria sido informado na última terça-feira, 15. Segundo a organização, 14 pássaros foram infectados e outros 475 foram sacrificados. A OIE dirige os esforços mundiais para o combate e controle do vírus H5N1, que está sendo observado por cientistas por poder sofrer um processo de mutação e tornar-se um vírus humano, o que poderia causar uma epidemia.  No começo do mês, Norouzi declarou oficialmente que sua agência havia sacrificado cerca de 300 mil aves das fazendas em subúrbios da capital. O Irã possui mais de 200 mil fazendas, com cerca de 10 milhões de aves.  

Tudo o que sabemos sobre:
gripe aviária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.