Irlanda confirma 1º caso; Espanha e Reino Unido têm mais seis

No Peru, governo confirma a primeiro caso de gripe na América do Sul e México amplia restrições

Agências internacionais,

30 Abril 2009 | 11h52

Suíça confirma caso e Alemanha tem mais três suspeitas

O governo irlandês confirmou o primeiro caso de gripe suína no país, nesta quinta-feira, 30, detectado em um homem que retornou recentemente de uma viagem ao México. 

 Já os governos da Espanha e do Reino Unido confirmaram mais seis novos casos: três em cada país. No Reino Unido, o número de casos confirmados do vírus subiu para 8. Na Espanha, 13 casos estão confirmados. Nos Estados Unidos, o número de casos subiu para 109 depois da confirmação de 10 casos na Carolina do Sul. Também nesta quinta, o governo peruano confirmou o primeiro caso de gripe suína na América Latina, fora do México. O vírus da gripe suína deu positivo para uma argentina internada em Lima que passou pelo México nos últimos dias. 

 

Veja também:

Brasil tem 36 casos em observação; 2 são suspeitos

Obama: EUA não fecharão fronteiras com México

Suíça confirma caso e Alemanha tem mais três suspeitas

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

 

 

Após a Organização Mundial da Saúde (OMS) elevar para o nível 5 o alerta de risco de pandemia, o governo peruano suspendeu os voos com o México, medida que se soma à de outros países da região: Argentina, Cuba e Equador. Nesta quinta-feira, 30, Suíça e Holanda confirmaram o primeiro caso humano da doença nos países. No Japão, há suspeita de um caso em uma paciente que viajou ao país a partir de um voo de Los Angeles.

 

República da Irlanda

 

O paciente infectado, que reside no leste do país, não foi hospitalizado, mas recebe tratamento contra o vírus em casa, como informou o chefe dos serviços médicos do Departamento de Saúde, Tony Holohan. Testes feitos em outras quatro pessoas esta semana deram negativo, embora as autoridades sanitárias estimem que nas próximas semanas mais cidadãos apresentarão dificuldades respiratórias similares aos sintomas da doença.

 

Reino Unido 

 

No Reino Unido, dois casos confirmados estão na região de Londres e um no nordeste do país. Todos os pacientes estão sendo tratados em casa e se recuperam bem, de acordo com informações oficiais do sistema de saúde do país. Os três pacientes visitaram recentemente o México, foco do vírus da gripe suína.

 

Na Irlanda do Norte, as autoridades esperam os resultados de dois testes, enquanto 11 casos foram declarados negativos desde o surgimento da febre suína. O ministro da Saúde norte-irlandês, Michael McGimpsey, assegurou que seu departamento mantém "estritos sistemas de vigilância e acompanhamento".

 

Espanha

 

Com a confirmação de três novos casos, a Espanha já conta 13 pessoas com o vírus H1N1 da gripe suína. Em todo o país são 84 pessoas monitoradas com suspeita da doença. Entre os casos confirmados na Espanha está o de um paciente que não viajou recentemente ao México.

 

Estados Unidos

 

Dez novos casos foram confirmados nos Estados Unidos nesta quinta, todos na Carolina do Norte. Onze Estados norte-americanos já confirmaram casos da doença, que matou um menino mexicano no Texas, Estado que faz fronteira com o México. Nova York concentra a maioria dos pacientes que contraíram o vírus H1N1 da gripe suína, com 50 casos confirmados. Em Washington, um funcionário do Banco Mundial também teria contraído o vírus.

 

Texto ampliado às 14h14 para acréscimo de informações.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.