David Lillo/AP
David Lillo/AP

Irmã siamesa sobrevivente supera falha renal e não corre mais risco de morte

María José, a outra siamesa de dez meses de vida, faleceu neste último domingo devido a uma 'falha orgânica múltipla fundamentalmente associada a seus problemas cardíacos'

Efe,

20 de dezembro de 2011 | 10h48

María Paz, a sobrevivente das bebês siamesas que foram separadas há seis dias no Chile em uma operação de 20 horas, superou uma falha renal e não corre mais risco de morte.

María José, a outra siamesa de dez meses de vida, morreu na noite de domingo devido a uma "falha orgânica múltipla fundamentalmente associada a seus problemas cardíacos", declarou Osvaldo Artaza, diretor do hospital infantil onde foi feita a operação, em Santiago.

Juan Carlos Acuña, chefe da Unidade de Terapia Intensiva, disse aos jornalistas que María Paz já está acordada e se recupera dos problemas renais que obrigaram a suspensão das diálises que estava recebendo.

Antes de serem separadas, as meninas, nascidas na região de La Araucanía, haviam sido submetidas anteriormente a sete cirurgias, a última para separar uma perna que compartilhavam. Durante a longa operação desta semana foram separados seus fígados, intestino grosso e ânus, que também compartilhavam.

O corpo de María José foi entregue nesta segunda-feira aos pais. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.