Foto: Nilton Fukuda/Estadão - 6/4/2020
Foto: Nilton Fukuda/Estadão - 6/4/2020

Isolamento social em São Paulo é de 57%, aponta sistema de monitoramento

Ideal seria que 70% dos habitantes do Estado estivessem em quarentena por conta do coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2020 | 15h48

A adesão da população de São Paulo ao isolamento social como forma de evitar a propagação da covid-19 chegou a 57% nesta sexta-feira, dia 10. O número representa uma elevação em relação às últimas medições. Na quinta-feira, o índice de isolamento social atingiu apenas 47%. Na quarta, dia 8, a taxa de isolamento havia sido de 49%. 

O governador João Doria projetava que o isolamento atingisse 60% da população neste fim de semana, rumo aos 70%, índice considerado ideal, até semana que vem. Caso não houvesse adesão voluntária, ele não descartou tomar medidas mais restritivas, como aplicação de multas e até prisão para quem desrespeitar o distanciamento. 

As informações são do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) do governo paulista. A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel de 40 cidades, em parceria com as operadoras Vivo, Claro, Oi e Tim. A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento da população. Com isso, é possível apontar as regiões que apresentam maior adesão à quarentena.

"Se a taxa de isolamento continuar baixa, o número de leitos disponíveis no sistema de saúde não será suficiente para atender a população", afirmou o coordenador do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo, David Uip. 

A diminuição nos índices de isolamento da população foi observada em praticamente todas as capitais brasileiras entre a última semana de março e os primeiros dias de abril. 

Nesta sexta-feira, o País ultrapassou a marca de mil mortes decorrentes do coronavírus. De acordo com o Ministério da Saúde, 1.056 pessoas morreram e 19.638 foram diagnosticadas com coronavírus desde a chegada da pandemia ao Brasil, em 26 de fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.