Israel suspeita de 1º caso da variedade mais grave da gripe aviária

Autoridades israelenses informaram hoje que o país suspeita do primeiro surto da variedade H5N1, a mais grave, da gripe aviária, após a morte de cerca 11 mil perus no sul do país. Depois de testes preliminares, o ministro da Saúde do país, Yaakov Edri, disse: "Praticamente já temos certeza de que seja gripe aviária, mas ainda estamos realizando mais testes." A porta-voz do ministério da Agricultura, Dafna Yarisca, disse à Associated Press que pode demorar alguns dias até saírem os resultados finais. O caso suspeito foi encontrado na comunidade rural de Ein Hashlosha, a cerca de dois quilômetros de Gaza central, e na comunidade de Holit, a dois quilômetros do sul de Gaza. As autoridades colocaram a região num raio de 7 quilômetros de quarentena e planejam sacrificar as aves que estejam a um raio de 3 quilômetros se as suspeitas forem confirmadas. "Não há casos da doença em humanos", disse Edri, acrescentando que se a doença for confirmada e caso haja a disseminação para humanos, o país possui vacinas para meio milhão de pessoas. A população de Israel é de cerca 7 milhões de habitantes. O ministro da Agricultura, Zeev Boim, disse que o país encomendou quatro milhões de unidades de vacinas para as aves da Holanda. Enquanto isso, cinco pessoas no sul do país foram hospitalizadas para observação, mas as autoridades veterinárias disseram acreditar que as pessoas não contraíram a doença. Yarisca disse que Israel e autoridades palestinas estão cooperando para realizar testes regulares em aves na região de Gaza. A variedade H5N1 foi detectada no Egito no mês passado e Boim disse que as mortes das aves no sul de Israel indicam que a doença pode ter se disseminado do Egito.

Agencia Estado,

17 de março de 2006 | 09h18

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.