Reuters
Reuters

Itália proíbe prótese de silicone com fins estéticos para menores de idade

País aprovou projeto de lei que controlará as operações feitas para colocar os implantes; ficam isentos os casos em que exista grave má-formação congênita

Efe,

22 de maio de 2012 | 19h12

A Comissão de Assuntos Sociais da Câmara dos Deputados italiana deu sinal verde nesta terça-feira, 22, a um projeto de lei para a constituição de um registro de controle de operações com próteses mamárias, que proíbe também sua implantação com fins estéticos em menores de idade.

O projeto já tinha sido aprovado no Senado, e hoje sua ratificação definitiva foi dada pela Câmara dos Deputados, que o fez se transformar em lei que entrará em vigor após publicação no Diário Oficial do Estado.

A nova norma estabelece que "o implante de próteses mamárias com fins estéticos será permitido apenas a pessoas que tenham alcançado a maioridade".

No entanto, ficarão isentos da proibição casos em que exista uma grave má-formação congênita, certificada por um médico ligado ao Serviço de Saúde nacional ou a uma instituição competente pública.

Após a entrada em vigor da lei, os cirurgiões que não a respeitarem poderão ser sancionados com uma multa de até 20 mil euros e três meses de suspensão de suas atividades, informou a imprensa italiana.

O projeto de lei foi promovido no governo anterior, de Silvio Berlusconi. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.