Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
ADRIANO MACHADO/REUTERS
ADRIANO MACHADO/REUTERS

Janssen suspende envio de 3 milhões de doses de vacina contra a covid ao Brasil previsto para terça

A entrega terá de ser reagendada, mas até o momento não há uma data definida, diz o Ministério da Saúde

Ítalo Lo Re, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2021 | 14h46
Atualizado 14 de junho de 2021 | 17h06

Previsto para esta terça-feira, 15, o envio de 3 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da Janssen, farmacêutica da Johnson & Johnson, foi suspenso. A entrega terá de ser reagendada, mas até o momento não há uma nova data definida, diz o Ministério da Saúde

Em nota, o ministério confirmou que a chegada ao Brasil das doses antecipadas da vacina contra covid-19 da Janssen ao Brasil não se dará mais no dia previsto. A data de entrega havia sido anunciada no sábado, 12, pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

“A pasta aguarda confirmação da (nova) data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao País em três remessas”, diz o ministério. Anteriormente, os imunizantes chegariam em apenas um lote.

O prazo de validade da vacina aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de três meses, mas a agência reguladora brasileira analisa a possibilidade de ampliar para quatro meses e meio. A decisão de estender a validade foi aprovada pela agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA, sigla em inglês) na última quinta-feira, 10. 

Segundo informou Queiroga no sábado, as doses que chegarão ao Brasil têm validade até o dia 27 de junho e seriam distribuídas para as capitais por conta da logística. Com o adiamento, no entanto, é provável que a logística tenha que ser reajustada.

Ao contrário dos outros imunizantes contra a covid-19 utilizados até então no Brasil, a vacina da Janssen é aplicada em dose única.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.