Japão já registra nova gripe aviária

Mais de 77 pessoas foram infectadas com uma variação menos agressiva do vírus da gripe aviária no Japão, o H5N2, informaram ontem autoridades do país. As vítimas, a maioria funcionários de granjas das regiões de Ibaraki e Saitama, onde já foram registrados focos da doença em aves, não apresentaram sintomas e estão curadas. No entanto foi o primeiro registro do vírus H5N2 em humanos. Segundo o governo japonês, cerca de 350 famílias de trabalhadores que tiveram contato com aves foram submetidas a exames médicos. Os resultados, considerados preliminares devido à falta de um teste-padrão para esse tipo de vírus em humanos, mostraram que pelo menos 77 deles tinham anticorpos gerados por uma infecção causada pelo H5N2. Ainda de acordo com autoridades, não há risco de novas contaminações entre humanos. Turquia Turquia apresentou ontem a identidade da 15ª pessoa infectada pelo vírus H5N1. A vítima é Gülten Yesilirmak, que afirmou ter tido contato direto com um frango doente. De acordo com autoridades sanitárias, seu estado de saúde é ?estável?. Seus dois filhos ainda estão em observação. No entanto teme-se que o vírus provoque novas mortes no país, que tem 13 pessoas internadas com o H5N1. Mesmo assim, o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, tentou acalmar ontem a população, afirmando que a situação ?está totalmente sob controle?. ?Infelizmente, houve momentos de pânico, o que deu a impressão de que a Turquia estava demorando para agir ou não estava preparada?, afirmou. Propagação Segundo o chefe da delegação de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Turquia, Guenaël Rodier, a propagação geográfica da doença no país ?não é surpreendente?, pois corresponde exatamente aos lugares onde as aves foram infectadas. O motivo de preocupação seria a velocidade com que apareceram os casos. ?Temos de questionar se estamos lidando com uma transmissão mais eficiente de animais para humanos?, disse. ?É uma questão em aberto. Eu não tenho resposta para isso.? Sobre a hipótese comentada em alguns círculos científicos de que a contaminação em humanos fosse explicada por uma mudança no padrão de transmissão do vírus, causada por uma mutação, Rodier disse que ?ainda é muito cedo? para tirar conclusões desse tipo e que para saber isso será preciso comparar dados clínicos. ?Não temos nenhum elemento que indique uma transmissão entre humanos. Todas as pessoas contaminadas tiveram contato direto com aves?, disse. Risco Para o cientista, a OMS tentará determinar se existem novos comportamentos de risco, diferentes dos observados nos países asiáticos infectados, que possam favorecer a transmissão da doença. Até agora, mais de 300 mil aves foram sacrificadas em 15 províncias do país desde dezembro. E vários hospitais têm atendido pessoas com sintomas parecidos com os da gripe aviária. Na tentativa de barrar o avanço da doença, mais aves estão sendo sacrificadas e o governo está tentando criar uma barreira sanitária, principalmente nas cidades de Ancara e Istambul, onde o vírus já foi encontrado em aves mortas. China A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que duas pessoas morreram na China vítimas do vírus H5N1 da gripe aviária. Com as duas novas ocorrências, subiu para 8 o número de infectados pela doença naquele país, sendo que 5 morreram. De acordo com um porta-voz da OMS em Pequim, as vítimas mais recentes são uma menina de 10 anos, da província de Guangxi Zhuan (sul) e um homem de 35 anos, da província de Jiangxi (leste).

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2006 | 11h43

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.