REUTERS/Kim Kyung-Hoon
REUTERS/Kim Kyung-Hoon

Japão tem terceiro dia de evacuação de cruzeiro; mortes por coronavírus chegam a 2.236

Os 450 passageiros desembarcados encerram a primeira etapa do desembarque; ficam no navio apenas a tripulação e quem dividia cabines com doentes

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2020 | 04h38

Cerca de 450 passageiros deixarão nesta sexta-feira, 21,  o navio Diamond Princess, em quarentena no porto de Yokohama, no Japão, depois de testarem negativo para o novo coronavírus. Com esse grupo, o governo japonês encerrará a primeira fase do desembarque de passageiros do navio, cuja quarentena de duas semanas terminou na quarta-feira, 19. Em torno de mil passageiros que tiveram exames negativos nos testes puderam descer e voltar para suas casas sem restrições.

O cruzeiro foi colocado em quarentena com pouco mais de 3.700 pessoas a bordo (entre passageiros e tripulação) em 3 de fevereiro, depois que um passageiro desembarcado foi infectado com o coronavírus COVID-19. Desde então, foram confirmadas 634 pessoas infectadas, que foram gradualmente hospitalizadas em vários centros médicos. Segundo o Ministério da Saúde, um total de 717 pessoass desembarcaram do navio entre quarta e quinta-feira.

A bordo continuará a tripulação restante (alguns não-japoneses foram evacuados), que serão testados e deixarão o cruzeiro progressivamente, além dos passageiros que compartilharam a cabine com os infectados e terão que passar por uma nova quarentena de 14 dias, contados a partir do momento que o companheiro doente saiu do quarto.

Até o momento, o surto de COVID-19 na Diamond Princess matou duas pessoas, uma de 87 e outra de 84 anos, de nacionalidade japonesa e com problemas de saúde pré-existentes, que morreram após contrair o vírus.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Na China continental, a epidemia matou outras 118 pessoas, especialmente na província de Hubei, elevando o número total para 2.236, segundo autoridades de saúde. A Comissão Nacional de Saúde também relatou 889 novos casos de contágio confirmados dentro de 24 horas na China continental, que exclui Hong Kong e Macau.

Mais de 75.000 pessoas foram infectadas pelo COVID-19 na China continental e mais centenas mais em 25 países. A maioria das mortes na China foi registrada em Wuhan, capital da província de Hubei, no centro da China, onde a epidemia começou em dezembro, segundo o diário da Comissão de Saúde de Hubei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.