Japonês que estava na Libéria passa por teste para detectar Ebola

Resultados serão divulgados nesta terça; jornalista de 45 anos tinha febre de 37,8 graus quando chegou ao aeroporto em Tóquio

O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2014 | 16h21

As autoridades sanitárias japonesas realizaram nesta segunda-feira, 27, testes em um jornalista japonês que estava na Libéria para confirmar se houve contágio pelo vírus do Ebola, informaram fontes oficiais citadas pela NHK. 

Os resultados da análise serão conhecidos nesta terça-feira, enquanto o paciente, que não se sabe se teve contato com infectados pelo Ebola, será internado em um centro médico de Tóquio.

O jornalista, de 45 anos, chegou nesta segunda ao aeroporto Haneda, em Tóquio, onde as autoridades decidiram colocá-lo em quarentena ao detectarem que ele tinha 37,8 graus de febre, embora não tenha se queixado de ter nenhum sintoma. 

O jornalista regressou ao Japão após fazer escalas na Bélgica e no Reino Unido, depois de ter permanecido dois meses na Libéria até o dia 18 de outubro. 

As autoridades sanitárias japonesas começaram, na sexta-feira, 24, a testar todos os viajantes que estão entrando no país vindos de nações da África Ocidental afetadas pelo Ebola. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou, no último sábado, 25, que os casos de Ebola, que possuem um período de incubação de três semanas, ultrapassaram os 10 mil. 

Do total de 10.141 infectados, 4.922 pessoas morreram, segundo as últimas informações divulgadas pela OMS sobre a situação da epidemia. 

A OMS explica que 4.655 infectados se encontram na Libéria, 3.896 em Serra Leoa, 1.553 na Guiné, 20 na Nigéria, quatro nos Estados Unidos e um no Senegal, Espanha e Mali./COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Mais conteúdo sobre:
EbolaTóquioJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.