Jogar Tetris ajuda a reduzir estresse pós-traumático, diz estudo

Voluntários submetidos a jogo de computador registraram menor número de 'flashbacks'.

Da BBC Brasil, BBC

07 de janeiro de 2009 | 16h48

Uma pesquisa britânica afirma que o jogo de computador Tetris pode ajudar a reduzir os efeitos do estresse pós-traumático.De acordo com os pesquisadores da Universidade de Oxford, as pessoas que jogavam Tetris tinham menos episódios de "flashbacks" - no qual a visão do incidente, os sons ou cheiros percebidos durante o incidente podem voltar para a vida cotidiana da pessoa.Segundo os pesquisadors, talvez isso ocorra pelo fato de o jogo ajudar a interromper a marcação de memórias.Os cientistas esperam que o estudo possa ajudar a desenvolver novas estratégias para reduzir o impacto do trauma.Os pesquisadores admitem, porém, que transformar suas descobertas em aplicações práticas para o tratamento do problema pode ser difícil."Queríamos encontrar uma forma de refrear os flashbacks (...). O Tetris pode funcionar ao competir pelos recursos do cérebro para informação sensorial", afirmou Emily Holmes, uma das pesquisadoras.MemóriaO estresse pós-traumático, geralmente associado com experiências durante conflitos, pode afetar qualquer pessoa que tenha passado por um incidente repentino e chocante.A experiência conduzida pela equipe da Universidade de Oxford trabalha com o princípio de que pode ser possível mudar a maneira com que o cérebro forma memórias horas depois de um evento.A equipe convocou 40 voluntários saudáveis e mostrou a eles um filme que incluía imagens traumáticas de ferimentos.Metade do grupo jogou o Tetris em seguida e a outra metade não fez nada depois do filme.O número de "flashbacks" que cada grupo teve foi então registrado na semana seguinte. Aqueles que jogaram Tetris tiveram menos desses episódios."Sugerimos que (o Tetris) interfere com a forma que as memórias sensoriais são registradas no período depois do trauma e, dessa maneira, reduz o número de 'flashbacks' que ocorrem depois", afirmou Emily Holmes.MemóriaA pesquisadora afirmou que as conclusões do trabalho podem se estender para os efeitos gerais de jogos de computador na memória."Não estamos dizendo que as pessoas com estresse pós-traumático deveriam jogar Tetris, mas acreditamos que há um valor em compreender como o cérebro funciona e como produz memórias que atrapalham.""Como não podemos estudar o nascimento de 'flashbacks' reais durante um trauma real, precisamos encontrar outras formas e este tipo de ciência cognitiva pode nos dar modelos para ajudar numa melhor compreensão da memória emocional", acrescentou.Para o professor David Alexander, do Centro para Pesquisa do Trauma em Aberdeen, é eticamente impossível simular um evento tão catastrófico como o tipo de incidente que pode levar ao estresse pós-traumático."Os voluntários aqui sabiam que algo iria acontecer mas eles não seriam feridos, um incidente traumático verdadeiro é diferente em escala, e geralmente é completamente inesperado e marcado por sentimentos de perda de controle", disse.Alexander acrescentou que o estresse pós-traumático normalmente é detectado e diagnosticado apenas semanas depois do incidente, ao invés de um diagnóstico horas depois do evento traumático. E é muito difícil prever quando as pessoas têm mais probabilidade de desenvolver o problema.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.