Juiz ordena perícia psicológica de enfermeiros uruguaios

Acusados confessaram praticar 'eutanásia' em pacientes não terminais

Efe,

22 de março de 2012 | 19h00

 O juiz uruguaio Rolando Vomero ordenou a perícia psicológica dos dois enfermeiros assassinos, segundo o auto do processo distribuído nesta quarta-feira, onde esclareceu também que são acusados de 15 mortes e não de 16 como o magistrado havia indicado inicialmente.

Fontes judiciais revelaram à Agência Efe que o enfermeiro Marcelo Pereira foi processado por homicídio especialmente agravado em cinco casos e seu colega Ariel Acevedo pelo mesmo crime em outros dez casos.

Além disso, o auto "decreta o processo e prisão de Andrea Fabiana Acosta", colega de ambos, "por cumplicidade em um delito de homicídio especialmente agravado".

O juiz ordena no documento que "sejam realizadas nos processados perícias psicológicas por especialistas do Instituto Técnico Legista", como havia solicitado a advogada de Acevedo, Inés Massiotti, depois que a perícia psiquiátrica demonstrou que ambos estavam plenamente conscientes de seus atos.

Com essa prova, Massiotti espera demonstrar que a história pessoal de seu cliente pôde ter um efeito em sua conduta e assim atenuar a pena de seu cliente.

O enfermeiro nasceu há 46 anos no interior do Uruguai,foi criado pela avó e violentado por um parente na adolescência. Há poucos anos oficializou sua união estável com outro homem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.