Junta Militar de Mianmar expulsa de hospitais doentes com aids

Apoiadores da oposição democrática são expulso e não recebem medicação para tratar a doença

Efe,

30 de janeiro de 2009 | 06h38

Doentes com aids apoiados pela oposição democrática de Mianmar (antiga Birmânia) são expulsos dos hospitais e obrigados a retornar a suas casas em zonas rurais onde não recebem tratamento, denunciaram fontes da dissidência. "Alguns receberam alta e as autoridades se negam a fornecer medicação para tratar nossa doença por ordens de seus superiores", declarou um paciente à rádio local Mizzima. Em janeiro, a Polícia já obrigou 11 crianças, sete mulheres e 11 homens a abandonar o hospital onde recebiam tratamento contra a aids em Yangun. Segundo relatório da organização Médicos sem Fronteiras, 25 mil doentes com aids birmaneses morreram em 2007 devido à negligência da Junta Militar, e outros 75 mil não recebem a medicação que deveriam.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmaraids

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.