Juntos, vitamina D e cálcio estendem expectativa de vida

Estudo aponta que combinação ajudou a reduzir taxa de mortalidade entre idosos

Reuters

15 de junho de 2012 | 18h39

Adultos em idade avançada que tomam suplementos de vitamina D e cálcio vivem mais que os que não consomem essas doses adicionais, aponta um estudo de pesquisadores dinamarqueses.

 

Os pesquisadores descobriram que os idosos que tomaram os suplementos tiveram uma chance 9% menor de morrer que os que não tomaram, considerado um período de três anos. Mas o consumo somente das pílulas de vitamina D, sem o cálcio, porém, não mostrou nenhum efeito nesse sentido.

 

As conclusões têm como base dados de oito estudos clínicos anteriores, nos quais os participantes tomaram suplementos de vitamina D (com ou sem cálcio) ou placebos para efeito de comparação. Esse tipo de pesquisa dá as mais fortes evidências sobre os eventuais efeitos dessas doses adicionais, afirma Lars Rejnmark, que lidera a pesquisa.

 

A redução de 9% na taxa de mortalidade em um período de três anos após o consumo dos suplementos parece pouco. A equipe de Rejnmark estima que, para prevenir apenas uma morte dentro desse curto tempo, mais de 150 idosos teriam de tomar as doses adicionais durante 36 meses.

 

Rejnmark também diz que as descobertas atestam os benefícios de tomar os suplementos, mas alerta para os riscos de doses extras dessas substâncias. Ele lembra que cálcio em exagero pode levar a enfartes, embora não se saiba se os suplementos em si sejam os problemas.

 

Sobre os efeitos colaterais, ele recorda o risco de pedras nos rins, que aumenta com altos níveis de cálcio no corpo. Exageros em vitamina D, por sua vez, levam a náuseas, vômitos, pouco apetite e gripe. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.