Justiça de SP quebra uma das patentes do Viagra

A Justiça Federal de São Paulo anulou uma das patentes do laboratório Pfizer que protege o mecanismo de ação do Viagra (a inibição da enzima PDE5). O pedido foi feito pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A companhia vai recorrer. A patente do princípio ativo do medicamento, o citrato de sildenafila, não foi quebrada. O Levitra, da Bayer, e o Cialis, da Lilly, têm o mesmo mecanismo de ação, mas no caso da Bayer há autorização da Pfizer desde 2004.

Agencia Estado,

12 de maio de 2006 | 10h53

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.