Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Lei antiálcool entra em vigor nesta quarta no Estado de SP

Segundo Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde, medida deve reduzir acidentes de trânsito

Fernanda Bassette, O Estado de S. Paulo

18 de outubro de 2011 | 21h30

SÃO PAULO - A partir de hoje está proibido o consumo de bebida alcoólica por adolescentes em estabelecimentos comerciais do Estado. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) sancionará a lei que responsabilizará o dono do local, caso algum menor seja flagrado consumindo álcool.


A venda de álcool para menores já é proibida por lei - a diferença é que antes o consumo não era regulamentado e se um adulto comprasse a bebida para um adolescente, ninguém poderia ser multado. Agora, a punição prevê multas de até R$ 87 mil e interdição do local.


Em entrevista ao Estado, Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde, afirmou que as blitze educativas começam hoje na cidade.


ESTADO - O que muda a partir de hoje? Giovanni Guido Cerri - Dentro dos primeiros 30 dias vamos fazer blitze e campanhas educativas sobre a legislação. Depois de um mês começará a fiscalização de fato.

 ESTADO - Como será a fiscalização?

Giovanni Guido Cerri - Demos treinamento com palestra do professor Ronaldo Laranjeira para conscientizar o fiscal sobre o consumo de álcool por menores. Também demos subsídios técnicos para explicar como serão as autuações. Os fiscais foram treinados e acreditam naquilo que estão fazendo, senão não daria certo. Alguns irão aos locais à paisana e também teremos um 0800 para a população denunciar.

 ESTADO - A responsabilidade é do dono do bar mesmo que o menor esteja acompanhado dos pais?

Giovanni Guido Cerri - Não tem conversa. O menor não pode consumir álcool, nem que tenha autorização dos pais. A responsabilidade tem que ser do dono do estabelecimento, senão a lei fica inócua.

 ESTADO - Terá campanha nas escolas? 

Giovanni Guido Cerri - Sim. Num primeiro momento, faremos uma série de palestras e de ações educativas com a equipe de álcool e drogas em 26 escolas da que possuem desempenho ruim. A escola é o caminho para o adolescente conhecer o problema e não enxergar o álcool como uma coisa normal. A campanha será da escola para casa.

 ESTADO - O senhor acredita que essa lei terá impacto na redução de acidentes de trânsito?

Giovanni Guido Cerri - Sem dúvida. Cerca de 50% dos acidentes de trânsito com vítimas são relacionados ao álcool. O motorista pode ser maior de idade, mas ele começou a beber mais jovem. Se reduzirmos o consumo de álcool na adolescência, com certeza vamos reduzir os acidentes no futuro. É um movimento que se inicia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.