Levantamento em Santa Casa de Belém é preocupante

Resultado de vistoria que está sendo feita em hospital onde 22 bebês morreram deve ser divulgado hoje

Emílio Sant'Anna, enviado especial de O Estado de S. Paulo

03 de julho de 2008 | 12h35

O governo do Estado do Pará reconheceu nesta quinta-feira, 3, a necessidade de mudanças na estrutura da Santa Casa de Misericórdia de Belém. Em nota divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde, considera "que o quadro avaliado em levantamento preliminar da situação é preocupante e decorre de problemas históricos enfrentados pela instituição, que precisam ser urgentemente corrigidos." A nota revela um dado mais preocupante. A análise dos dados de mortalidade dos últimos três anos revela que a taxa de mortalidade na unidade neonatal da Santa Casa vem se mantendo. Em 2005, a taxa de óbitos foi de 14,3% no hospital. Em 2006, 17,5%, e em 2007, 16,2%.  A concentração de mortes de recém-nascidos na segunda metade do mês de junho no hospital, quando 22 bebês morreram em menos de 15 dias, é atribuída pelo governo do Pará a fatores como o alto risco de 80% das pacientes gestantes atendidas no local, ao acompanhamento médico insuficiente das gestantes e falta de exames pré-natais e a "constante superlotação da Unidade de Terapia Intensiva " da unidade. Médicos e gestores do hospital afirmam que o local trabalha com ocupação 50% maior do que sua capacidade.  O governo do Estado admite também haver sérias deficiências na estrutura física e de profissionais da Santa Casa. A possibilidade de se tratar de um surto infeccioso não é descartada.  Segundo o diretor do Sindicato dos Médicos do Estado do Pará, Luis Sena, os alertas da entidade ao governo estadual são antigos. Para ele, trata-se de uma tragédia anunciada que poderia ter sido evitada caso as providências para sanar os problemas no local fossem tomadas antes. Hoje, a secretaria de Saúde do Estado, Laura Rosseti, se reúne com médicos do sindicato e da unidade de neonatologia da Santa Casa para avaliar a situação.  Ministério da Saúde Os resultados preliminares da análise da equipe técnica do Ministério da Saúde devem ser anunciados ainda hoje. A equipe formada por profissionais das áreas técnicas de Saúde da Criança e de Saúde da Mulher, Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retornaram na noite de ontem para Brasília. No entanto, devem continuar os trabalhos em Belém na próxima semana. Sena, porém, reclama que os médicos e funcionários da Santa Casa não foram ouvidos pelos técnicos do ministérios, o que

Tudo o que sabemos sobre:
Belémmorte de bebês

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.