Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Litoral tem queda no isolamento e cidades pedem ações em rodovias para conter turistas no feriadão

Dados divulgados nesta quarta pelo governo do Estado mostram um grande avanço do coronavírus nos municípios do interior e do litoral de São Paulo

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2020 | 19h00

SOROCABA – Com quedas no isolamento social por causa do coronavírus no primeiro dia do feriadão, prefeitos do litoral paulista querem bloqueios em rodovias para reduzir o fluxo de turistas às cidades praianas. Apesar das barreiras montadas pelas prefeituras, nesta quarta-feira, 20, primeiro dia do feriadão em São Paulo, o número de visitantes foi considerado alto. Houve queda no isolamento nas três cidades, em comparação com a quarta-feira passada, um dia comum. Em Ubatuba, o índice caiu de 61% para 57%, em Caraguatatuba, de 55% para 51%, e em São Sebastião, de 63% para 61%.

 Houve também congestionamentos, agravados pelas barreiras nos acessos. Em Santos, foram registrados quatro quilômetros de congestionamento na Via Anchieta. Houve registros de filas de carros também em Ubatuba, São Sebastião e Caraguatatuba, cidades que restringiram a entrada de veículos.  

Dados divulgados nesta quarta pelo governo do Estado mostram um grande avanço do coronavírus nos municípios do interior e do litoral de São Paulo, superando o índice registrado na Grande São Paulo. A doença atingiu 484 cidades paulistas e em 223 houve morte. Na Baixada Santista, só no mês de maio, o número de casos aumentou 156%. Já o número de mortes teve aumento de 121%. Conforme o prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto (PSDB), depois de cada feriado prolongado, o número de casos na região sobe 30%.

Um documento enviado na terça-feira, 19, pelo Consórcio Intermunicipal do Litoral Norte ao governo estadual pede ações de restrição ao tráfego em quatro rodovias – Tamoios, Rio-Santos, Mogi-Bertioga e Oswaldo Cruz – sempre que houver antecipação de datas comemorativas na capital. Augusto, que assinou a petição, disse que tentou obter autorização da justiça para bloquear as rodovias, mas perdeu. “Mesmo com as barreiras sanitárias, com mais de 1 mil veículos abordados, a cidade está lotada”, disse.

 A prefeita de Ilhabela, Maria das Graças Ferreira (PSD), que também assinou o documento, disse que a antecipação dos feriados prejudica as medidas sanitárias impostas às populações do litoral. “Estamos cientes dos riscos e necessidades de nossa região turística e temos a mesma preocupação com a saúde da população.” Antecipar os feriados, segundo ela, também prejudica a recuperação das cidades praianas após a pandemia, pois haverá menos oportunidade para os turistas irem às praias. A restrição no serviço de balsas de Ilhabela, em vigor desde março, foi reforçada neste feriadão.

 Moradores da região apoiam as barreiras contra os turistas devido à pandemia. “Com a chegada de turistas nesse momento, a gente tem receio de sobrecarga no sistema de saúde, não apenas pela covid-19, mas também pelo maior risco de acidentes de trânsito e brigas que resultam em hospitalização”, disse o cirurgião dentista Eduardo Gonsalves, de Praia Grande. Ele observa que o respeito ao isolamento social já não é alto. “Tenho visto aglomerações e muita gente sem máscara.”

  Muitos turistas que tentaram chegar às praias tiveram de voltar. A prefeitura de Santos informou que, até as 10 horas, 15 carros com turistas tinham sido obrigados a retornar às cidades de origem. Houve bloqueios em três das principais avenidas da cidade, com apoio da Polícia Militar. Em Caraguatatuba, a estatística ainda não foi divulgada, mas a prefeitura confirmou que muitos visitantes não puderam entrar na cidade.

Moradores de São Sebastião, fizeram sepulturas de areia e fincaram cruzes na Praia de Juquehy, numa advertência aos turistas para os riscos da pandemia. Em diversos pontos do município, associações de moradores ergueram barricadas de areia e blocos nos acessos às praias.

QUEDA

A Secretaria de Transportes e Logística do Estado informou que as rodovias de acesso ao litoral tiveram queda de 35,3% no fluxo, no primeiro dia do feriadão, em comparação com o mesmo dia normal da semana passada. Nesta quarta, desceram para o litoral, pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, 31.905 carros, contra 49.294 da quarta-feira anterior. Conforme a pasta, não estão previstos bloqueios nas rodovias, como querem os prefeitos do litoral.

 O acesso às praias está sendo restrito apenas pelas prefeituras locais. O governo ofereceu apoio aos municípios para instalar barreiras em seus perímetros. Informou ainda que a Polícia Militar desenvolve operações nas rodovias estaduais e cidades turísticas, durante o período de feriado, de modo a intensificar a presença e orientar o cidadão quanto à necessidade de isolamento social e medidas preventivas contra o vírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.