Lula assina normas para venda de remédios fracionados

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta quarta-feira normas para a venda de remédios fracionados em drogarias. Um decreto vai permitir que as drogarias possam vender remédios em unidades e um projeto de lei, a ser encaminhado ao Congresso, vai obrigar os laboratórios a produzir os medicamentos fracionados. "A medida, extremamente simples, poderia estar acontecendo há um século", afirmou Lula. Essa é a segunda tentativa do governo de começar a produção dos remédios fracionados. Há um ano, o governo liberou a fabricação, mas poucos laboratórios se interessaram - dois hoje estão produzindo e apenas mais quatro já pediram a licença. Até agora, apenas 26 tipos de medicamentos em 111 apresentações estão disponíveis. Com os quatro novos laboratórios, o governo calcula que, até o final do mês, 55 remédios estarão disponíveis. Mas agora o governo pretende obrigar a fabricação dentro de um prazo de seis meses depois da lei ser aprovada pelo Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.