Luta contra gripe aviária une palestinos e israelenses

A necessidade de deter a gripe aviária acabou estabelecendo um canal de rara cooperação entre Israel e Autoridade Palestina. Autoridades israelenses informaram ontem que vão ceder trajes de proteção e prestar apoio técnico a equipes veterinárias palestinas. O anúncio foi feito logo depois da identificação de um foco do vírus H5N1, o mais perigoso causador da gripe aviária, na Faixa de Gaza, um dos territórios mais densamente povoados do mundo. O acordo foi firmado anteontem à noite na cidade de Erez, na fronteira, por funcionários agrícolas e veterinários dos dois lados. Há meses, Israel já vem fazendo para a Autoridade Palestina exames de amostras de aves mortas na Cisjordânia e na Faixa de Gaza. Os testes laboratoriais confirmaram um caso numa granja de frangos em Rafah, ao sul de Gaza. A presença do H5N1 também foi detectada em uma colônia israelense na Cisjordânia. "O vírus não conhece fronteiras nem muros de separação", disse o vice-ministro palestino da Agricultura, Azzam Tbeileh. "Carecemos de vacinas, de vestimentas de proteção. Não temos laboratórios. Até para efetuar testes preliminares nos vemos obrigados a enviar as amostras para Israel", disse Tbeileh. Os israelenses afirmam que estão dispostos a fornecer todo material e ajuda necessários. "Nós pedimos aos palestinos: 'Digam o que precisam e nós daremos'", afirmou Shlomo Dor, porta-voz da coordenação das atividades israelenses nos territórios palestinos. Camboja e China No Camboja, uma menina de três anos morreu infectada pelo vírus H5N1 da gripe aviária - a quinta morte desde 2003. É a primeira vez que se verifica um caso humano ali desde março de 2004. Ela morava em um vilarejo a 45 quilômetros da capital Phnom Penh, informou Megge Miller, epidemiologista da Organização Mundial da Saúde. Suspeita-se que outras sete pessoas tenham sido contaminadas, pois apresentam sintomas típicos de infecção pelo H5N1. Outras 42 pessoas estão em observação. Ao menos 200 frangos morreram desde domingo na mesma localidade em que residia a menina. A influenza aviária pode ser a causa da morte de uma mulher na cidade de Xangai, a oeste da China, segundo a televisão estatal local. A vítima, uma mulher de 29 anos, morreu na terça-feira de "pneumonia de origem não confirmada". O país registrou 15 casos de gripe aviária entre humanos, com 10 vítimas fatais.

Agencia Estado,

24 de março de 2006 | 12h27

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.