Maior emergência do RS tem novas instalações

Foram inauguradas ontem as novas instalações da maior emergência do Rio Grande do Sul, a do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre (RS). Para as obras e aquisição de equipamentos, o Ministério da Saúde investiu R$ 5,8 milhões do programa Qualisus, que tem o objetivo de melhorar e humanizar o atendimento à população, além de agilizar os serviços. O programa já conta com 92 convênios em todo o país, um compromisso de R$ 320 milhões. A nova emergência foi ampliada de 946 m2 para 1.430 m2. As instalações contam com 50 leitos, nove consultórios para clínica médica, cirúrgica e assistência social, duas salas de pequenos procedimentos, sala de medicação e serviço de diagnóstico por imagem com raios X, ecografia e eletrocardiograma. Para a emergência odontológica, estão disponíveis dois consultórios, com capacidade para realizar 3 mil procedimentos mensais. Com a reforma, também foi modificada a sinalização, facilitando o acesso e direcionamento do paciente. A emergência hoje é responsável pelo atendimento de 1,2 mil pessoas por dia. O Hospital Nossa Senhora da Conceição é uma instituição de economia mista, vinculada ao Ministério da Saúde. São 1.344 leitos, todos conveniados com o Sistema Único de Saúde (SUS). No ano passado, realizou 3,2 milhões de procedimentos ambulatoriais, com um repasse da União de R$ 28 milhões, e outros 40 mil serviços hospitalares, totalizando R$ 29,6 milhões do governo federal. Grupo Conceição O hospital é um dos membros do Grupo Hospitalar Conceição, que também inclui o Hospital da Criança Conceição, Hospital Cristo Redentor, Hospital Femina e 12 postos de saúde. O GHC tem 6.064 trabalhadores, atuando integrado à rede de saúde local e regional. O grupo atende a população de Porto Alegre, região metropolitana e interior do Estado. De janeiro de 2003 a 12 de dezembro de 2005, o Governo Federal destinou para o GHC mais de R$ 22 milhões, entre convênios, programas e recursos do tesouro nacional, sendo que até o final do ano os recursos devem chegar a R$ 25 milhões. O Hospital Nossa Senhora da Conceição recebeu verbas para ações como Programa Parto Humanizado, Qualificação do Banco de Sangue, Convênio de Informática, Residência Multiprofissional e Programa Qualisus. O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) está passando por mudanças estruturais que irão qualificar, entre outros setores, as emergências dos hospitais Conceição e Cristo Redentor. Para isso, o Governo Federal destinará, por meio do Programa Qualisus do Ministério da Saúde, até o final do próximo ano, mais de R$ 10 milhões em equipamentos e obras. O objetivo é qualificar o atendimento não só na porta de urgência da instituição, mas também em toda a seqüência de serviços necessários à assistência do usuário, como o bloco cirúrgico e a sala de recuperação. Qualisus Os convênios do programa praticamente triplicaram em 2005, passando de menos de 30 para 92. O investimento chega a R$ 320 milhões. Ao aderirem ao Qualisus, os hospitais passam por transformações no modelo de gerenciamento, adotando novas tecnologias de gestão, entre elas, técnicas para humanizar o atendimento e reduzir as filas. Uma das estratégias do Qualisus é a de adotar a classificação de risco, ou seja, o atendimento pela gravidade da situação e não apenas por ordem de chegada. Outra preocupação é com a sinalização legível das diferentes salas de urgências para agilizar o atendimento e dar maior autonomia aos usuários. As unidades em processo de qualificação também têm suas instalações reformadas (adequação física) e recebem novos equipamentos (modernização tecnológica). O objetivo é dar mais conforto ao paciente, melhorar a acolhida, agilizar o fluxo de atendimento e reduzir a permanência desnecessária no hospital. Também devem garantir a melhoria do atendimento medidas como: estabelecimento de visitas abertas, privacidade no atendimento, direito a acompanhante, gerenciamento de leitos, implantação de ouvidoria, fortalecimento do grupo de humanização do hospital e a criação do comitê de gestão de urgência, formado por gestores governamentais e representantes dos hospitais. O usuário tem direito ainda ao "kit alta", composto por receita, atestado médico, relatório, encaminhamento ambulatorial e medicamentos. Além das mudanças nos hospitais, a política Qualisus atua externamente, no sistema de emergência. As alterações são promovidas por outras três medidas: a organização de uma rede de pronto-atendimento; o trabalho do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu/192) e a implementação da Central de Regulação de Leitos. O programa é resultado da participação da União, estados, municípios e demais parceiros. Cabe ao ministério a assessoria técnica na gestão dos hospitais, os investimentos para a reforma e a compra de equipamentos. Os estados e municípios são responsáveis pelo gerenciamento dos hospitais, pela garantia do material de consumo interno e pela gestão de recursos humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.