Efe
Efe

Maior relógio do mundo é ativado em Meca

Equipamento começou a funcionar no início do Ramadã, mês em que os islâmicos jejuam durante o dia

ASMA ALSHARIF, REUTERS

11 de agosto de 2010 | 16h22

Um relógio gigante em um arranha-céu da cidade sagrada islâmica de Meca começou a funcionar nesta quarta-feira, 11, no início do Ramadã, mês no qual islâmicos realizam jejum durante o dia, em meio à esperança de que este será o relógio oficial para muçulmanos em todo o mundo.

O Relógio de Meca, que Riad diz ser o maior do mundo, tem quatro lados, com diâmetro de 43 metros cada.

O equipamento está localizado a 400 metros do que será o segundo maior prédio do mundo, com vista para a mesquita sagrada de Meca, para a qual muçulmanos em todo o mundo se voltam cinco vezes ao dia para orações.

"O relógio sagrado de Meca foi iniciado por ordem do rei Abdullah bin Abdulaziz Al-Saud... um minuto depois da meia-noite desta manhã, o primeiro dia do mês sagrado do Ramadã", informou a agência estatal de notícias SPA.

Mais de 90 milhões de peças de vidro colorido formam mosaicos que compõem os quatro lados do relógio, que têm ainda uma grande inscrição do nome "Alá".

Segundo a agência estatal, o equipamento é visível de todas as regiões da cidade.

O relógio foi posicionado em uma torre de 601 metros de altura, que se tornará o segundo maior prédio habitado no mundo quando for concluído, daqui a três meses.

"Por estar localizado em frente à mesquita sagrada, todo o mundo islâmico se referirá à hora de Meca, ao invés de Greenwich (GMT). O relógio de Meca se tornará um símbolo para todos os muçulmanos", disse Hashim Adnan, residente da cidade de Jeddah.

O projeto é parte dos esforços para modernizar a antiga cidade e torná-la capaz de receber milhares de peregrinos.

Cerca de dois milhões de muçulmanos visitam a cidade todos os anos como parte da peregrinação do Hajj, exigida a todos os muçulmanos capaz de realizá-la. Outros 3,5 milhões de peregrinos visitam Meca durante o ano.

Tudo o que sabemos sobre:
ARABIASAUDITARELOGIOMUCULMANOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.