Maioria das grávidas tem no corpo substâncias perigosas ao feto

Estudo mostra que 99% têm poluentes como mercúrio e metais pesados, que atravessam a placenta

Efe

14 Janeiro 2011 | 18h13

WASHINGTON - A grande maioria das mulheres grávidas tem no corpo substâncias químicas potencialmente perigosas para o feto, segundo um estudo divulgado nesta sexta-feira, 14, pelo Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambiental dos Estados Unidos.

A pesquisa, baseada em uma amostragem de 268 mulheres, determinou que 99% das grávidas têm no corpo várias substâncias poluentes, e algumas delas, como mercúrio e metais pesados, podem atravessar a placenta e atingir o feto.

Muitas das substâncias químicas presentes no sangue e na urina das gestantes estão associadas a doenças. O mercúrio, por exemplo, está relacionado a problemas neurológicos.

É por isso que o diretor do trabalho, Tracey Woodruff, aconselha que as grávidas tomem medidas especiais para reduzir ao máximo a presença dessas substâncias. Por isso, nesse período as mulheres devem consumir produtos orgânicos, tirar com frequência o pó das casas, lavar bem as mãos antes de comer, e escolher os produtos de higiene que contenham menos ingredientes tóxicos.

As gestantes devem cumprir também as recomendações de uma dieta saudável, como não fumar e não consumir álcool durante os nove meses.

Os responsáveis pelo estudo encontraram as mesmas substâncias químicas no corpo das mulheres não grávidas, mas advertiram que os riscos são maiores entre as que esperam bebê, pela possibilidade de os poluentes interferirem no desenvolvimento deles.

Mais conteúdo sobre:
gravidez feto substâncias químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.