Maioria dos leitores aprova proposta do parto anônimo

A proposta prevê que gestantes interessadas em encaminhar filhos para adoção tenham garantia de sigilo

Da Redação

22 de fevereiro de 2008 | 16h27

Dos mais de 400 internautas que haviam votado, até a tarde desta sexta-feira, 22, na enquete online realizada pelo portal estadao.com.br sobre a proposta de legalização do parto anônimo no Brasil, 201, ou 49%, consideram a idéia positiva. O segundo maior grupo de votantes, 115 (28%) acredita que o projeto defendido pelo Instituto Brasileiro de Direito da Família (IBDFAM) é inócuo e não trará vantagens em relação à legislação atual. Condenam a proposta 95 internautas, ou 23%.   Proposta de parto anônimo causa polêmica   O projeto será encaminhado no próximo dia 3 ao Congresso. A proposta prevê que gestantes interessadas em encaminhar seus filhos para adoção recebam tratamento diferenciado nos hospitais, com garantia de sigilo.   Passados 30 dias do parto, as crianças seriam encaminhadas a instituições que se encarregariam da adoção. Integrantes do movimento feminista classificam a proposta como "anacrônica" e "inócua". No Ministério da Saúde, a idéia também é vista com desdém.   Na Áustria, França (onde foi julgado constitucional), Itália, Bélgica, Luxemburgo e Estados Unidos (adotado em 28 dos 50 Estados) o mecanismo é legalizado.

Tudo o que sabemos sobre:
parto anônimogravidezadoção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.