REUTERS/Kacper Pempel
REUTERS/Kacper Pempel

Mais de 50 países fecham fronteiras por causa do coronavírus

Brasil ainda evita adotar medida que já está sendo realizada por vizinhos como Argentina, Uruguai, Colômbia e Paraguai

João Prata, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 10h00

SÃO PAULO - Mais de 50 países já restringiram as fronteiras a estrangeiros por causa da pandemia do noo coronavírus. A medida é uma das maneiras de conter o avanço da covid-19 que, segundo boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS), atingiu 151 nações e territórios. 

As primeiras estratégias de controle de acesso ou suspensão de voos tinham como alvo a China. Com a disseminação da doença nas últimas semanas, no entanto, os controles de fronteiras envolvem número cada vez maior de países.

Diferentemente de vizinhos como Argentina e Colômbia, o Brasil optou por ainda não restringir totalmente a entrada de estrangeiros. O presidente Jair Bolsonaro afirmou na segunda-feira, 16, apenas que adotará controle maior e exigir exames para quem quiser entrar no País a partir da Venezuela.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

No Brasil, 234 casos foram confirmados e o País já registra transmissão local do vírus, de acordo com o Ministério da Saúde. São Paulo é o Estado que contabiliza mais notificações com resultados positivos (152).

A circulação do vírus teve início na China, que concentra a maioria dos casos da doença (cerca de 81 mil no total), mas Coreia do Sul e Irã são países que têm número elevado de registros. A Itália é o principal foco do coronavírus na Europa, considerado o atual epicentro da pandemia. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.