Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Mais de mil médicos cubanos já deixaram o País, informa OPAS

Expectativa é de que 8.300 médicos deixem o Brasil até 12 de dezembro

Ligia Formenti, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2018 | 10h02

BRASÍLIA - A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) informou na manhã desta terça-feira, 27, que 1.307 profissionais cubanos deixaram o País desde sexta-feira, 23. 

Sete voos fretados partiram com os médicos, rumo à ilha caribenha, desde que o acordo de colaboração para o Mais Médicos foi rompido, por Cuba, numa reação às declarações feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro sobre o programa e a intenção de reformular seus termos. Com o fim da colaboração, 8.300 profissionais deixarão o Brasil. A expectativa é de que a operação seja concluída até 12 de dezembro. 

Pelo menos 224 brasileiros inscritos no novo edital do programa Mais Médicos já se apresentaram às cidades onde irão trabalhar, segundo dados divulgados na tarde desta segunda-feira,pelo Ministério da Saúde. Esses são os primeiros profissionais a substituírem os médicos cubanos que começaram a deixar o País na semana passada.

Diante da saída dos estrangeiros, o ministério abriu um edital emergencial com cerca de 8,5 mil vagas. De acordo com a pasta, até a manhã desta segunda, 97,2% dos postos já haviam sido preenchidos em apenas seis dias de inscrições abertas. 

No período, foram 30.734 inscritos, com 21.407 cadastros efetivados e 8.278 médicos já alocados no município em que irá atuar. Embora o ministério tenha dado até o dia 14 de dezembro para que os profissionais se apresentem, os interessados não precisam esperar até lá. Caso queiram, podem iniciar o trabalho a partir da confirmação da inscrição e escolha da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.