Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Mais recursos para equipes de saúde da família depende de metas, diz Padilha

Segundo ministro da Saúde, a avaliação da satisfação do usuário é um dos requisitos para a concessão de verba extra para prefeituras

Agência Brasil,

29 de fevereiro de 2012 | 12h11

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse nesta última terça, 28, que o aumento de recursos para equipes do Programa Saúde da Família será de acordo com o cumprimento de metas e para aquelas que atingirem bons resultados. Segundo Padilha, um componente importante da avaliação do desempenho dessas equipes é a qualidade das relações de trabalho no universo da atenção básica de saúde.

O ministro disse que a avaliação da satisfação do usuário é um dos requisitos para a concessão de verba extra para prefeituras, estados e o Distrito Federal. “Nosso incentivo de qualidade para a atenção básica, que é um recurso que o ministério criou, pode até dobrar o que passa para a equipe do saúde da família, desde que ela mostre qualidade no atendimento à população”.

Para saber como está a satisfação dos usuários com o atendimento na rede pública de saúde, o Ministério da Saúde começou a distribuir cartas de avaliação a pacientes que foram internados em hospitais públicos. Cerca de 1 milhão de correspondências serão enviadas, por mês, a casa desses pacientes. Até o momento, foram impressas 57 mil cartas.

O ministro participou nesta terça da entrega do Prêmio InovaSUS , que valoriza boas práticas e inovação na gestão do trabalho na saúde. A cerimônia ocorreu durante o 2º Encontro Nacional de Gestores do Trabalho em Saúde, cujo objetivo é avaliar as ações de gestão, regulação e negociação do trabalho em saúde. “A intenção do Ministério da Saúde é que as políticas de valorização dos trabalhadores sirvam para atender melhor a população”, disse Padilha.

Este ano foram apresentadas 262 iniciativas para melhorar as condições de trabalho e valorizar os trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, foram premiadas 20 iniciativas com valores entre R$ 50 mil e R$ 150 mil. Os recursos são destinados às ações de gestão do trabalho na saúde e serão repassados a fundos dos municípios premiados.

Este ano, o município de Betim (MG) foi o grande vencedor do prêmio InovaSUS com a criação de uma mesa permanente de negociação com os servidores da saúde. Em segundo lugar ficou Vitória, seguido por Belo Horizonte.

Segundo a secretária municipal de Saúde de Betim, Conceição Rezende, 80% dos recursos do SUS nos municípios são gastos com gestão do trabalho. “Esse conjunto de recursos exige sistemas de gestão que sejam eficazes”.

A prefeita de Betim, Maria do Carmo Perpétuo, disse que o dinheiro do prêmio será usado na capacitação de funcionários e na compra de equipamentos. “Esses R$ 150 mil serão usados na melhoria da gestão do trabalho do SUS em Betim. Vamos investir em cursos de formação, na compra de computadores e livros”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.