Mais uma criança morre após ser picada por escorpião no interior de SP

Mais uma criança morre após ser picada por escorpião no interior de SP

Desde o início do ano, nove crianças morreram no interior paulista em decorrência de picadas do animal

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2018 | 08h35

SOROCABA – Um menino de 9 anos morreu, neste domingo, 25, após ser picado por um escorpião enquanto dormia, em Araçatuba, interior de São Paulo. É a segunda morte seguida de criança por acidente com esse aracnídeo em dois dias na mesma região. No sábado, 24, uma menina da mesma idade morreu em Bariri, após receber uma picada. Desde o início do ano, nove crianças morreram no interior paulista em decorrência de picadas de escorpião.

O menino Pablo Henrique Araújo Laureto dormia na casa da avó, no bairro Guanabara, quando acordou, na madrugada de sábado, reclamando de dores na região do ouvido. Os pais foram chamados e ele recebeu o primeiro atendimento no Pronto Socorro Municipal, de onde foi encaminhado para a Santa Casa de Araçatuba. Como o estado de saúde era grave, ele foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu. O corpo da criança será sepultado na manhã desta segunda-feira, 26.

Pablo é a segunda criança que morre após ser picada por escorpião, este ano, em Araçatuba. Em abril, a menina Priscila Claudenícia de Oliveira Silva recebeu a picada quando brincava na casa da avó e não resistiu. A cidade já havia registrado duas mortes de crianças em 2017. Dados divulgados na última sexta-feira pelo município indicam que 1.036 pessoas foram picadas por escorpião na cidade desde o início do ano.

No interior, este ano, outros óbitos aconteceram em Ourinhos, Santa Bárbara d'Oeste, Sumaré, Barra Bonita, Miguelópolis e Bauru. Os casos levaram o Ministério Público Federal (MPF) a acionar Estado e União para disponibilizar o soro antiescorpiônico em 11 municípios da região. O antídoto já foi fornecido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.