Vahid Salemi/AP
Vahid Salemi/AP

Mastercard fecha escritório em São Paulo após confirmação de coronavírus em funcionário

A companhia diz que apesar de acreditar que haja um baixo risco de transmissão os funcionários foram notificados e que as medidas necessárias já foram tomadas

Beth Moreira, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2020 | 17h00

Um funcionário do escritório da Mastercard em São Paulo foi diagnosticado com o novo coronavírus, após ter viajado para o Estado de Nova York, onde visitou instalações da empresa em Purchase North.

"A conselho das autoridades de saúde pública, fechamos nossos escritórios em São Paulo e Purchase North, que passam por um processo de higienização completa", afirmou a empresa ao Broadcast.

A companhia diz que apesar de acreditar que haja um baixo risco de transmissão para a maioria de seus funcionários que não estiveram em contato próximo com esse indivíduo, notificou os membros da equipe e que os mesmos estão tomando as medidas necessárias para monitorar a própria saúde.

A empresa acrescenta que os funcionários que estiveram em contato com o funcionário afetado e desenvolvam os sintomas devem trabalhar em casa por 14 dias. "Eles só retornarão ao escritório após esse período e desde que eles - ou qualquer membro de sua família - não estejam doentes ou apresentando os sintomas", afirma.

A Mastercard informa ainda que as operações continuam normalmente. "Continuamos monitorando essa situação de perto e tomaremos todas as precauções necessárias para garantir a saúde e a segurança de nossos funcionários", diz.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Mastercardsaúde públicacoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.