FELIPE RAU/ESTADAO
FELIPE RAU/ESTADAO

Média de mortes por covid no País fica abaixo de 200 pela primeira vez desde abril de 2020

Especialistas apontam a influência do avanço da vacinação contra a doença sobre os registros, que já vêm em queda nos últimos meses

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2021 | 20h19
Atualizado 20 de novembro de 2021 | 20h36

A média de mortes por covid-19 no País ficou abaixo de 200 neste sábado, 20, pela primeira vez desde 23 de abril de 2020. O dado ficou em 196, de acordo com a divulgação feita pelo consórcio de veículos de imprensa. Especialistas apontam a influência do avanço da vacinação contra a doença sobre os registros, que já vêm em queda nos últimos meses. 

 

A média leva em consideração os registros dos últimos sete dias e oferece uma visão mais precisa da variação dos registros. Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 214 mortes pelo coronavírus. No total, desde o início da pandemia, o País alcançou a marca de 612.625 óbitos provocados pela doença. 

O Estado do Amazonas não relatou mortes por covid-19. No Rio de Janeiro, a prefeitura informou que não há mais pacientes internados com a doença na rede municipal de saúde. 

De acordo com o balanço divulgado neste sábado, 8,6 mil novos casos  foram notificados. O País já tem pouco mais de 22 milhões de casos da infecção desde março de 2020. A média móvel de casos nos últimos sete dias é de 8.383. 

Os dados diários são reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa, que é formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20 horas.

O balanço de óbitos e de casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde 8 de junho do ano passado, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.