Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Média móvel de mortes por covid-19 no Brasil fica em 636 neste sábado

Dados do consórcio de veículos de comunicação apontam 276 novos óbitos nas últimas 24 horas, em meio a 16.995 diagnósticos confirmados no período

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

26 de dezembro de 2020 | 20h00
Atualizado 28 de dezembro de 2020 | 00h05

A média móvel de mortes causadas pela covid-19 ficou em 636 neste sábado, 26, no Brasil. Esse tipo de média leva em consideração dados dos últimos sete dias para corrigir distorções provocadas pelas variações nos registros. Nas últimas 24 horas, o País registrou 276 novas mortes e 16.995 novos diagnósticos confirmados. 

Os dados são reunidos pelo consórcio de veículos de comunicação a partir dos registros das secretarias estaduais de Saúde. O consórcio é formado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL. No total, o Brasil já chegou 190.815 óbitos causados pela doença desde o início da pandemia, em meio a 7.464.620 diagnósticos confirmados. 

De acordo com o Ministério da Saúde, 6.475.466 pessoas se recuperaram da doença, em meio a 7.465.806 casos confirmados. Os dados da pasta diferem dos registros do consórcio em razão da metodologia de coleta. A pasta aponta um total de 190.795 mortes confirmadas, 307 nas últimas 24 horas. 

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado que não se sente incomodado pelo fato de as campanhas internacionais de vacinação já terem sido anunciadas sem que haja prazos locais. “Ninguém me pressiona para nada, eu não dou bola para isso”, garantiu, enquanto circulou por cerca de duas horas em Brasília, sem usar máscara, ao final da manhã.

Consórcio dos veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.