Bruno Kelly/ Reuters
Bruno Kelly/ Reuters

Média móvel de mortes por covid-19 volta a bater recorde e chega a 1.208

País já acumula 255.018 óbitos e 10.549.129 casos da doença, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2021 | 20h06

A média móvel de mortes por covid-19 voltou a bater recorde neste domingo, 28, e chegou a 1.208, segundo balanço mais recente do consórcio de veículos de imprensa formado por EstadãoG1O GloboExtraFolha UOL. O levantamento é feito com base nos dados das 27 secretarias estaduais de Saúde.

No sábado, a média móvel, referente aos dados dos últimos sete dias, havia ficado em 1.180, até então o recorde da pandemia. O indicador elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana.

Nas últimas 24 horas, foram notificados 755 novos óbitos e mais 40.495 casos da doença no País. No total, já são 255.018 mortes registradas e 10.549.129 pessoas contaminadas no Brasil, segundo o balanço.

Ainda de acordo com os dados coletados pelo consórcio de veículos de imprensa, 6.576.109 pessoas já receberam a primeira dose da vacina no País. Destas, 1.933.404 tomaram também a segunda. Nas últimas 24 horas, 56.088 doses foram aplicadas.

Tentando evitar o colapso no sistema de saúde e frear a disseminação do vírus, governadores e prefeitos estão adotando medidas mais rígidas de isolamento social. No Estado de São Paulo foi adotado um "toque de restrição" para autuar e conter aglomerações entre as 23 horas e as 5 horas a partir desta sexta-feira. Além disso, seis regiões do Estado, incluindo a Grande São Paulo, saíram da fase amarela para a laranja.

Ao menos outros 10 Estados também decretaram restrições de circulação de pessoas, fechamento de estabelecimentos comerciais e até lockdown. De acordo com o Boletim do Observatório Covid-19, da Fiocruz, 17 capitais brasileiras estão com ocupação de leitos de UTI de pelo menos 80%. 

Consórcio dos veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Neste domingo, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 34.027 novos casos e mais 721 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 10.551.259 pessoas infectadas e 254.942 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados. Ainda de acordo com o órgão federal, 9.411.033 pessoas já se recuperaram da doença no País.

Tudo o que sabemos sobre:
Ministério da Saúdecoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.