ALEXANDRE BRUM/ESTADÃO
ALEXANDRE BRUM/ESTADÃO

Média móvel de mortes volta a ficar abaixo de 800 após 16 dias; total de vítimas ultrapassa 647 mil

Taxa que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana estava em queda desde 13 de fevereiro e ficou em 784 nesta quinta, 24

Leon Ferrari, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 20h21

Com 996 novas mortes por covid-19 registradas nas últimas 24 horas, o total de vítimas da doença chegou nesta quinta-feira, 24, a 647.486 no Brasil. A média móvel de óbitos, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, está em 784. O valor ficou abaixo de 800 pela primeira vez após 16 dias. A taxa está em queda desde 13 de fevereiro. A média ainda é alta em comparação às primeiras semanas do ano, quando chegou a ser menor do que 100. 

Foram notificados ainda 95.493 casos de infecções pelo coronavírus nesta quinta. A média móvel de casos ficou em 91.360. A média se mantém abaixo de 100 mil pelo terceiro dia consecutivo. A redução da taxa ocorre desde o dia 4 de fevereiro. O número total de diagnósticos positivos está em 28,58 milhões.

Os dados diários da pandemia no Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, g1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. De acordo com os números do governo, 25,9 milhões de pessoas estão recuperadas da covid-19.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.