Brian Snyder/Reuters
Brian Snyder/Reuters

Medicamento contra o câncer da AstraZeneca tem resultado 'decepcionante' no tratamento da covid-19

A empresa biofarmacêutica vinha fazendo estudos sobre a eficácia do remédio Calquence em pacientes hospitalizados

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2020 | 05h15
Atualizado 12 de novembro de 2020 | 06h45

A AstraZeneca vinha testando a eficácia do seu medicamento contra o câncer no sangue, o Calquence, no tratamento da covid-19. No entanto, a biofarmacêutica informou nesta quinta-feira, 12, que os resultados do estudo em pacientes hospitalizados com sintomas respiratórios da doença causada pelo novo coronavírus foram "decepcionantes".

A empresa disse também que continua empenhada em outros esforços contra a covid-19, como os ensaios clínicos da vacina desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, e um tratamento experimental baseado em uma combinação de anticorpos de longa ação. Estas duas outras iniciativas não foram afetadas pelo resultado anunciado nesta quinta-feira, 12.

Pesquisadores acreditam que pacientes de covid-19 com sintomas graves, incluindo quadros de pneumonia, sofrem de uma resposta exagerada do sistema imunológico, conhecida como tempestade de citocinas. A Astrazeneca fez testes para descobrir se o Calquence, que reprime certos elementos do sistema imunológico, poderia conter esta resposta exagerada. Os resultados destes testes não afetam as indicações aprovadas ou aprovações pendentes para o Calquence em pacientes com câncer no sangue, disse a empresa.

O medicamento, que já é utilizado para tratar vários tipos de câncer de sangue, é um tratamento aprovado para pacientes adultos com leucemia linfoide crônica nos Estados Unidos e outros países./Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.